delator
Tem dias que prefiro a solidão. Você suspende a vida por algum tempo permitindo o silêncio e a observação. Afasta aquelas tarefas rotineiras, desliga o celular, enche a geladeira de frutas e muito sorvete, volta à atenção para si. É a chance certa para vasculhar a alma recolhendo todas as impropriedades, escancarando as janelas para a troca de ar e por elas ver o horizonte e todas as suas possibilidades. Você tem a oportunidade de eliminar os equívocos, destituir as ilusões, definir as prioridades para o seu futuro, arrumar as estantes, as relações. Você entende que a solidão é tão necessária quanto a vontade de viver e conviver.
Elisa Bartlett (via delator)
pedacos-de-um-coracao-partido
Não estou bem, não me sinto humano. Morri de novo ontem, o pior é que perceberam. Não existe mais forças para disfarçar, só me resta forças para escrever, escrever meu epitáfio, minha decomposição. Minha cova eu cavo com caneta, meu suicídio está grifado nos papéis pela casa. Vou destruir os muros que me cercam, que esses muros caiam por cima de mim, é o que desejo.
Auto Decomposição. (via sorrisosuicidas)